Uncategorized

TRAÍ E GOSTEI!

TRAÍ E GOSTEI!
Há alguns anos meu marido levou um amigo em nossa casa para nos ensinar a jogar um jogo no videogame. Assim que ele apareceu na porta da sala eu já achei ele bem bonito. A partir daí, passamos a ser um grupo de amigos. Foram chegando outros: a esposa desse amigo também veio. Fazíamos vários churrascos juntos, até que um dia, em um aniversário meu, esse amigo veio de bermuda. Ah! Bati os olhos nas pernas dele e me apaixonei na hora. Sempre bebíamos muito e ele, sempre foi bem discreto e respeitador, mas uma vez, ele perdeu a linha e me mordeu. Nossa! Naquele momento senti minha buceta morder. À noite, transei loucamente com meu marido, pensando no amigo dele. Passsando os dias fui pensando naquele amigo cada vez mais. Meu casamento já estava uma droga mesmo. Então passamos a nos falar pelo celular. Um dia liguei e perguntei para ele o que ele achava de mim e ele disse que eu era interessante, tinha bunda e peitos perfeitos, e que sempre me homenageava, mais tarde que descobri que homenagem era essa!… Depois desse dia eu só transava com meu marido pensando no amigo. Na verdade eu jurava que estava dando a buceta para ele. Hum! Eu dava gostoso; Virava do avesso. Meu marido, ficou todo desconfiado, pois o casamento já estava acabando e de repente eu comecei a dar que nem uma louca! Queria dar dia e noite, tinha até medo de falar o nome do amigo sem querer. Depois de uma brincadeira, acabei saindo com esse amigo, que para minha surpresa não se inibiu de ficar comigo mesmo eu sendo quem era. Ele me comeu sem pensar. A primeira vez que estive com ele pensei no beijo, porque para mim tudo começa num beijo. Assim que ele encostou sua a boca na minha, a minha buceta já se manifestou. Pensei “que boca gostosa” e já imaginei a boca e a língua me chupando. Naquele dia mesmo transamos e mais uma vez fui surpreendida com tanto prazer que me foi proporcionado. Parecia que ele me comia a séculos. Gozei gostoso na pica dele. Nossa, me acabei. Depois desse dia passamos a nos encontrar escondidos, e a transa cada vez melhor. Não havia lugar certo para foder, ele me comia no carro ou na rua. Era fabuloso e extremamente excitante. Ele sempre fazia algo que me alucinava. Colocava-me de quatro e me lambia de cima a baixo. Para ele dei meu rabo e engoli porra, coisas que nunca fiz com meu marido e nem com ninguém. Com aquele homem eu me revelava uma safada, vadia, puta. Com ele eu queria ser bem vagabunda. E isso era bom. Sempre adorei chupar um pau bem duro, sou admiradora do órgão sexual masculino. Adoro olhar, isso me faz querer sentar naquilo e me acabar. Sempre dei umas boas olhadas no pau dele enquanto eu chupava com todo o prazer do mundo. Realmente com esse homem era tudo muito bom. E era bem nítido o prazer que ele sentia. O tempo foi passando e esse amante delicioso hoje é meu marido. O marido mais gostoso que uma mulher pode ter. O desejo que sinto por ele é tão grande que quando transamos, sinto vontade de entrar dentro dele. Até hoje só dos meu lábios tocarem os dele, minha buceta lateja e só penso em dar. Fiquei completamente viciada em trepar com ele. Às vezes me irrita saber que dentro de um casamento existem outras coisas, porque para eu dar pra ele não é algo difícil, estou sempre bem pronta. Minha buceta à disposição para ele foder quando quiser. Penso nisso praticamente o dia todo, me irrito quando ele demora a chegar, já fico fantasiando sua chegada: Adoro vê-lo, que nem um predador com fome, olhando sua presa, que sou eu!

Bunlar da hoşunuza gidebilir...

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir